quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Veredito final: Stavigile aumenta a inteligência e é seguro, dizem cientistas

Pesquisadores de Oxford e Harvard concluem que a modafinila (Stavigile) turbina cérebros saudáveis, com efeitos colaterais raros e brandos

Caixa de Stavigile, da Libbs
Reprodução: Internet
A notícia caiu como uma bomba na imprensa internacional. Ontem, 19 de agosto de 2015, pode muito bem ter sido um marco na maneira como entendemos o cérebro e a inteligência humana. Foi a primeira vez que uma medicação psiquiátrica foi entendida como "segura e eficaz" para turbinar o cérebro de quem não tem nenhum problema de saúde.

Cientistas fizeram uma meta-análise (isto é, uma revisão de vários estudos na literatura científica) e chegaram a uma sentença final: a modafinila é capaz de aumentar o poder intelectual de pessoas saudáveis.

A modafinila, que é o princípio ativo do medicamento Stavigile (da Libbs) é indicado para tratar a sonolência diurna excessiva. Mas, na realidade, é mais usado por estudantes e executivos que querem virar noites ou lidar com a privação de sono, e não por doentes.



Quem usa o Stavigile?
Esse uso fora das indicações da bula vem explodindo nos últimos dias. Aqui, no Turbine seu Cérebro, já fiz uma entrevista com profissionais e estudantes sem qualquer problema de saúde, mas que usaram o Stavigile como "melhorador cognitivo" (clique para conferir a matéria). Dá só uma olhada no gráfico abaixo:

Uso off-label da modafinila é muito superior ao uso on-label, isto é, das indicações da bula.  Fonte.

Harvard e Oxford confirmam as experiências dos usuários da
modafinila: ela consegue, sim, turbinar o cérebro
A linha superior, legendada como "off-label indication" mostra o número de pacientes que usam a modafinila sem ter nenhum problema de sonolência excessiva, nos EUA. Quem mais consome a modafinila são usuários sem problemas com o sono.

De fato, 1 em cada 5 estudantes das universidades britânicas já usaram a modafinila. No Brasil, não temos estatísticas desse tipo  a Folha de São Paulo apurou que Ritalina, Ritalina LA, Concerta, Venvanse (remédios para déficit de atenção) e o Stavigile venderam, juntos, 2,16 milhões de caixas no Brasil entre julho de 2014 e julho de 2015.

Até hoje, relatos de que o Stavigile era capaz de aumentar a memória, a atenção e potencializar a capacidade intelectual eram, bem, somente relatos. Especulação e subjetividade. Nada que encontrasse peso científico. Até hoje.

Mas a meta-análise publicada no dia 19 no jornal European Neuropsychopharmacology não deixa mais dúvidas. Os cientistas deram a sentença: a modafinila é, sim, capaz de aumentar significativamente a inteligência de pessoas saudáveis. Agora, o uso do Stavigile como otimizador do desempenho intelectual ganha peso científico.

E os nomes desses cientistas tem peso. Quem avaliou e revisou todas as pesquisas sobre a modafinila, feitas entre janeiro de 1990 e dezembro de 2014 foram o doutor Ruairidh Battleday e a doutora Anna-Katharine Bram da Universidade de Oxford e a da Faculdade de Medicina de Harvard.

Sentença final: Stavigile turbina o cérebro

Eles encontram 24 estudos sobre os efeitos da modafinila em pessoas saudáveis. Conclusão: os benefícios cognitivos, não é surpresa alguma, variavam dependendo da tarefa intelectual. O que os cientistas renomados descobriram é que, quanto mais duradoura, mentalmente cansativa e complexa a tarefa, mais a modafinila era capaz de ajudar (isso inclui longas sessões de estudo, portanto!).

A modafinila não fez diferença nenhuma na memória operativa ou na flexibilidade de raciocínio. Mas a droga conseguiu aumentar o planejamento e a capacidade de tomar decisões. E isso deve significar muito para estudantes submetidos a testes de múltipla escolha.

Medicação tem poucos efeitos colaterais, dizem pesquisadores
E os efeitos colaterais? Aí está. A modafinila foi considerada segura pelos pesquisadores. Os estudos revisados demonstram que o Stavigile tem efeitos colaterais mínimos. Quando ocorriam, esses efeitos eram insônia, dor de cabeça, dores no estômago e náusea (e, às vezes, reportados até mesmo nos grupos placebo...).

Nas palavras do doutor Ruairidh Battleday: "Quando testes cognitivos complexos são usados, fica claro que a modafinila tem um efeito confiável na cognição". E a doutora Anna-Katharine Brem diz: "Por ter muitos poucos efeitos colaterais, a modafinila pode ser considerada um melhorador cognitivo".

Questão puramente ética
Será que, no futuro, o Stavigile vai ser como o "cafezinho" de hoje? A pesquisa de Oxford e Harvard nos diz que a medicação é eficaz em pessoas saudáveis. Agora, basta ser aceita. A questão é ética.
E agora? A ciência acabou de creditar à modafinila o título de "turbinador cerebral", capaz de genuinamente ajudar, por exemplo, com a preparação para provas. O estudo desses dois pesquisadores inaugura uma nova era, que requer um amplo debate social - e urgente.

Nós já entendemos que somos capazes de aumentar nosso poder cerebral usando fármacos. Cientificamente, a discussão está fechada: a modafinila aumenta a inteligência de pessoas saudáveis. A única discussão que resta é se a sociedade vai mesmo continuar no caminho da "neurocosmética" ou se entraves éticos irá deter essa tendência. 

Afinal, usar o Stavigile é dopping? Ou iremos abraçar esse medicamento (diante da sua eficácia e segurança muito bem estabelecida) e ele fará parte da nossa sociedade? Afinal, se a droga funciona e não faz mal, por que não usá-la?

Por que não colocar essa indicação, cientificamente reconhecida e embasada, na bula? Essas são perguntas que cabe à sociedade e não à ciência discutir e responder.

Mas o debate tem que ser feito logo. A modafinila não é, por enquanto, regulamentada para "turbinar o cérebro". Então, a droga só pode ser conseguida para esse fim no mercado negro. Guy Goodwin, presidente do European College of Neuropsychopharmachology: "Se há uma demanda para a modafinila e pessoas prontas para pagar pelo remédio, então um mercado ilegal será criado".

15 comentários:

  1. Cara muito bom seu blog, ta de parabéns mesmo. Fiquei pensando a mesma coisa se não seria dopping kkk, mas
    tbm pode ser só suplemento agora fiquei confuso. Mas muito interessante o assunto!

    ResponderExcluir
  2. Por que é tarja preta?

    ResponderExcluir
  3. Teve uma época em que tomei stavigile para depreção.. nao sabia que era boa para turbinar o cerebro, eu tomava uma pilula por dia, mas para finalidade de turbinar o cerebro deve-se tomar quantas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como foi a experiência para sua depressão?

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. qual foi sua experiencia com a depressao?

      Excluir
    4. Vc teve "depreção"? O remédio para esse é o retorno aos bancos escolares.

      Excluir
    5. Querido(a) deve usar da mesma forma. Pois o efeito será como foi durante sua depressão... A depressão tira o ânimo de agir enquanto o modafinil ativa seu ânimo e o prolonga por algumas horas. A pílula não faz milagre, ela te dá oportunidade de ser um." Funciona" melhor com pessoas que possuem pelo menos uma base de senso crítico.

      Excluir
  4. Stavigile ou nootropil?

    ResponderExcluir
  5. O que vc me diz do intelimax ID?

    ResponderExcluir
  6. Tomei nootropil 800 MG + colina 80mg, a Pereira dosagem fez eu me sentir como um super herói, a segunda em diante só fez me causar sono e sono, vou tentar outro

    ResponderExcluir
  7. Tomei nootropil 800 MG + colina 80mg, a Pereira dosagem fez eu me sentir como um super herói, a segunda em diante só fez me causar sono e sono, vou tentar outro

    ResponderExcluir
  8. Basta comprar Adrafinil pela internet, não é remédio e é metabolizado no fígado como modafinil.
    https://nootropicscity.com/product/adrafinil-capsules/

    ResponderExcluir