sábado, 31 de dezembro de 2016

8 drogas que aumentam a memória comprovadas pela ciência

Ampliar a memória de pessoas saudáveis não é ficção científica. Conheça os medicamentos e suplementos que aumentam a memória

As conexões neuronais mudam constantemente
Vou contar para você algo fantástico sobre o seu cérebro. Tudo aquilo que você faz, a que você presta atenção e tudo o que você pensa altera a estrutura a e a função do seu cérebro. Há apenas algumas décadas os neurocientistas acreditavam que os seus miolos eram inflexíveis como aço inox. Hoje se sabe que a história é bem diferente: sabe-se que o cérebro é bem maleável.

Descobriu-se a neuroplasticidade. De acordo com as atividades e informações a qual é submetido, o cérebro faz ou desfaz as suas conexões neuronais. Isso significa que, depois de ler esses dois parágrafos, o seu cérebro já não é mais o mesmo. E não será mais o mesmo após você ler esse texto.

Essa incrível capacidade do cérebro de remodelar as teias de conexões neuronais é a base do aprendizado e da memória. Durante o aprendizado - ou seja, quando adquirimos novos conhecimentos sobre o mundo - os neurônios modificam suas estruturas e as suas conexões.

Desculpe o transtorno. Estamos em manutenção permanente para melhor atendê-lo

Ao estudar para uma prova, por exemplo, você cria um circuito neuronal específico para aquele conteúdo que você viu. Essas informações podem ficar só por um tempo na memória de curto prazo. Aí está a glória de revisar. Quando você submete o seu cérebro novamente às mesmas informações, você fortalece as conexões daquele mesmo circuito de neurônios. 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Minha experiência completa com a sulbutiamina, o nootrópico estimulante



Há alguns anos, comecei a me aventurar pelo mundo dos nootrópicos - substâncias neuroprotetoras capazes de aguçar as habilidades cognitivas. 

A minha primeira experiência foi com o piracetam. Com o piracetam, parecia que várias lâmpadas se acendiam na minha mente. Era como se eu alcançasse um grau maior de lucidez. Mais tarde, com alguns dias de uso, notei outros efeitos bem curiosos - em especial, maior facilidade para escrever textos e também um sutil ganho de memória.

Apesar de inegavelmente eficaz, o piracetam não era uma droga maravilha. Se eu tivesse usado o piracetam com o objetivo de me tornar o rapaz do filme Sem Limites, eu teria ficado desapontado. O piracetam não é um estimulante - não irá envigorá-lo e deixá-lo "ligadão". Alguns pacientes podem até mesmo apresentar sonolência com o seu uso.


Na busca por um nootrópico que amenizasse o cansaço que, inevitavelmente, acompanhava a época de preparação para o vestibular, conheci a sulbutiamina - vendida nas farmácias brasileiras como Arcalion (em embalagem e drágeas similares as da foto acima). Os relatos nos fóruns estrangeiros faziam 1001 elogios aos efeitos psicoestimulantes desse nootrópico.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

SAMe: o antidepressivo do futuro?

ATENÇÃO: não se automedique, nem pare de tomar seus medicamentos sem aconselhamento médico. Não me responsabilizo pelo mau uso das informações desse artigo, nem asseguro que elas sejam totalmente precisas.


De uns tempos para cá, noto que tenho recebido muitos comentários aqui no blog de pessoas que relatam o uso de medicamentos antidepressivos. Coincidência? Creio que não. Não é uma grande surpresa que os pacientes com depressão tenham certo interesse por nootrópicos. 

Digo isso porque a depressão maior afeta a mente de muitas formas. É bem verdade que os problemas de humor e de motivação são os que mais recebem atenção clínica. Mas pacientes com depressão lutam em outra frente de batalha: dos problemas cognitivos. Infelizmente, esse flanco não é tão digno de cuidados médicos.

Os sintomas cognitivos da depressão maior são muito debilitantes, com grande potencial para o prejuízo na vida acadêmica e profissional. Muitas vezes, pacientes com depressão possuem déficits na função executiva - o que envolve dificuldades de ignorar distrações, problemas na capacidade de concentração e indecisão - e comprometimento da memória.

O pior: alguns relatos na literatura dão conta de que os problemas cognitivos permanecem mesmo com a redução dos sintomas e a recuperação.

O lado negro do tratamento da depressão


Os medicamentos antidepressivos hoje em uso não garantem a melhora dos sintomas da depressão