terça-feira, 17 de janeiro de 2017

FAQ: uso do piracetam como melhorador cognitivo


O post Minha experiência completa com o piracetam é o mais visualizado deste blog. Nele, eu conto meu relato sobre o uso do piracetam para estudar. 

Conforme descrevo no artigo, eu notei melhoras na minha capacidade de comunicação verbal. Tanto houve um ganho na compreensão de textos como um aprimoramento na habilidade de transmitir ideias (algo como maior "lábia" com as palavras). Também notei uma memória sutilmente mais afiada.

Desde que eu escrevi esse texto, amontoaram-se comentários de leitores. A contabilidade hoje é de mais de 150, contando com minhas respostas. Contudo, grande parte das perguntas que me fazem se repetem. Diante disso, resolvi reuni esses questionamentos dos leitores num único post.

Essas são as perguntas que mais me fazem sobre o piracetam. Coloquem os cintos - e, lembrem-se: eu não sou um médico e o uso de qualquer medicamento, inclusive o piracetam, deve ser prescrito por esse profissional. Vamos lá esclarecer as dúvidas:


1. Para que o piracetam serve? Qual a indicação do piracetam?
No Brasil, uma das indicações do piracetam é como coadjuvante no tratamento da dislexia em crianças
O piracetam é indicado para um leque de doenças e sintomas, na verdade. Reconhece-se que ele seja eficaz na demência, vertigem, convulsões mioclônicas e derrame cerebral. A bula brasileira do Nootropil reconhece que o piracetam é eficaz em distúrbios cognitivos caracterizados por perda de memória e problemas de atenção, vertigem e dislexia em crianças.

2. Mas e em pessoas saudáveis, o piracetam funciona mesmo? O piracetam é bom para a memória?
Mesmo em jovens que já operam em nível cognitivo excelente, o piracetam melhora a memória, segundo estudos
Sim, o piracetam, reconhecidamente, é capaz de melhorar algumas funções intelectuais - mesmo naqueles que não tem qualquer comprometimento dessas. Conforme a bula técnica do piracetam:
Tanto em animais como em seres humanos, as funções envolvidas em processos cognitivos como aprendizagem, memória, atenção e consciência foram aprimoradas, em indivíduos normais assim como naqueles com deficiências destas funções.
um estudo antigo que evidenciou que, em voluntários saudáveis, já com funções cognitivas ótimas (eram estudantes de Psicologia numa Universidade com rigoroso processo seletivo, na Grã-Bretanha), o piracetam otimizou a memória verbal. Outro artigo que utilizou exames de eletroencefalograma demonstrou melhor processamento de informações em adultos sadios que usaram o piracetam.

Com isso, é seguro dizer que a ciência reconhece que o piracetam melhora as funções cognitivas, mesmo quando elas já operam em nível ótimo.

3. Quais são os efeitos colaterais do piracetam? O piracetam é seguro? O piracetam faz mal?
Até mesmo um estudo que utilizou dosagens de 35 gramas de piracetam intravenoso não reportou toxicidade
O piracetam é, em geral, extremamente seguro. Uma publicação científica de 1991 descreve que "o piracetam parece ser quase completamente livre de efeitos adversos e extremamente bem tolerado".

Enquanto as doses preconizadas pela bula brasileira são de 4,8 gramas por dia, via oral, há um artigo russo que descreve a administração diária, por um mês, de até 35 gramas de piracetam por dia, na veia, em pacientes com uma síndrome epiléptica. Conforme uma revisão literária, "mesmo que altas doses sejam por vezes necessárias, o piracetam é bem tolerado".

A bula do Nootropil atesta que "o piracetam foi extremamente bem tolerado em dosagens variando entre 2,4 a 4,8g/dia, sendo praticamente isento de efeitos colaterais." 

Isso em muito comprova o bom perfil de segurança da droga. Contudo, sabe-se que o piracetam prejudica algumas etapas da coagulação do sangue - o que pode ser perigoso em alguns pacientes (daí, havendo contraindicações e interações medicamentosas perigosas). Há também uma lista de efeitos colaterais possíveis, que podem ser todos observados na página nove deste documento.

4. Ok! Estou entusiasmado. Como eu devo tomar o piracetam? Precisa de receita?
É importante que o piracetam seja prescrito por um médico
O piracetam é um medicamento que requer prescrição médica. O piracetam não é um medicamento tarja preta ou controlado. Ele requer uma receita comum - que não é retida.

É verdade que muitos medicamentos da categoria do piracetam (aqueles, com tarja vermelha, onde vem escrito "Venda sob prescrição médica") são vendidos livremente em drogarias. Mas essa não é a prática correta - e põe em risco a saúde do consumidor.

 O uso deve ser prescrito e orientar por um médico. Isso porque esse profissional levará em conta um monte de informações. Por exemplo, qual o custo-benefício em utilizar o piracetam (os possíveis benefícios justificam os possíveis riscos?). Ainda, ele avaliará questões personalíssimas - como a capacidade de interações medicamentosas e contraindicações. 

A automedicação pode trazer sérios riscos. Não é a minha intenção instruí-lo em como usar o piracetam ou fazê-lo recomendações pessoais.


5. Mas em quais doses o piracetam é eficaz em aumentar a "inteligência" de pessoas saudáveis?
O estudo que observou um aumento da memória verbal do piracetam em jovens saudáveis utilizou um regime de 4,8 gramas de piracetam ao dia. Essa dosagem foi distribuída ao longo do dia: 1600 mg de piracetam, três vezes ao dia. A melhora na memória verbal deu-se após 14 dias nesse regime de piracetam.

O estudo que utilizou um exame de eletroencefalograma encontrou que, após uma única dosagem de 4,8 gramas de piracetam, houve uma melhora do processamento de informações e da performance cognitiva. Esse mesmo estudo notou que doses de 2,4 gramas e de 9,6 gramas não produziram resultados melhores que o placebo. 

Os autores, então, concluíram que doses pequenas demais ou grandes demais, dadas de uma única vez, tem resultados menos vantajosos.

6. Em quanto tempo o piracetam faz efeito?
A julgar pela ciência, a dosagem de 4,8 gramas de piracetam tem efeito imediato quando administrada de uma só vez; ou, quando fracionada ao longo do dia, tem efeito em longo prazo
Depende. Observe que o primeiro estudo  que eu descrevi acima é de longo prazo. Os autores notaram que o piracetam (1600 mg, três vezes ao dia) não produziu benefício algum a memória verbal após sete dias. 

Quando eles realizaram um novo teste, mas após 14 dias de uso, o resultado foi bem diferente. Os jovens que usaram o piracetam tinha uma memória verbal mais afiada. Ou seja: esse benefício do piracetam só se deu após uso mais prolongado. Não foi imediato.

Mas o último estudo que descrevi se refere a uma única administração de piracetam: quando tomado 4,8 gramas de uma só vez, o piracetam melhora as funções cognitivas, especialmente o processamento de informações. Porém, esse estudo não avaliou a segurança/eficácia desse tratamento em períodos prolongados.

Em minha experiência (e, portanto, sem validade científica alguma: exerça seu ceticismo a seguir), há benefícios tanto a curto prazo - como a melhor "compreensão" das informações - quanto a longo prazo - ganhos leves na memória.

7. É seguro o uso do piracetam em longo prazo?
Há estudos avaliando o uso do piracetam em longo prazo, mas o médico deve orientar a duração do tratamento
O médico prescritor do piracetam deve orientar a respeito da duração do tratamento. Contudo, há estudos que utilizaram o piracetam em longo prazo com segurança. Por exemplo, num ensaio com pacientes com epilepsia, doses de até 20 gramas por dia foram usadas durante 18 meses. Dois entre onze pacientes reportaram sonolência nas duas primeiras semanas de tratamento.

8. Posso usar o piracetam com Ritalina?

O médico prescritor deve avaliar a questão. A Ritalina é um medicamento controlado e deve ser tratado com seriedade - o potencial para efeitos negativos com seu uso é gigante. Há motivos para crer que a combinação com o piracetam possa ser prejudicial.

À guisa de informação, é sabido que o piracetam potencializa os efeitos de estimulantes no comportamento. Isso foi observado com a metanfetamina - que, é claro, tem um efeito muito mais intenso que o metilfenidato (Ritalina). No entanto, os dois intensificam os efeitos dos mesmos neurotransmissores (com seus diferentes mecanismos de ação). 

Então, é muito provável que o piracetam intensifique os efeitos do metilfenidato (Ritalina) - exacerbando efeitos colaterais como ansiedade, inclusive.

Isso está de acordo com o que sabemos do mecanismo de ação do piracetam - já que ele aumenta a eficiência da comunicação sináptica. Com isso, os efeitos dopaminérgicos e noradrenérgicos da Ritalina poderiam ser potencializados por essa maior facilidade de comunicação. Isso pode ser danoso - expondo os neurônios a um excesso desses neurotransmissores.

Qualquer afirmação sobre o potencial tóxico é especulação (mas com algum fundamento científico). A falta de literatura científica sobre essa interação é uma forte razão para temer a associação, considerando que ambos agem no sistema nervoso central e que a Ritalina é um medicamento controlado.

9. Tenho que usar o piracetam com essa colina? Como?
A colina ocorre na gema do ovo - essa é uma das fontes mais ricas
O médico prescritor deve avaliar a questão. Mas o que é colina e por que ela é importante?

A colina é uma vitamina do complexo B - e é, de modo comum, "sub-consumida". Essa substância, naturalmente encontrada nos alimentos, que tem importância enorme para o cérebro. Ela é matéria-prima para a construção da acetilcolina, um dos neurotransmissores envolvidos na memória. É também fundamental para a fabricação de fosfatidilcolina, um "tijolo" que forma as muralhas que revestem os neurônios.

Ao mesmo tempo em que tem tamanha importância, menos de 10% atingem a Ingestão Diária Recomendada de 550 mg de colina por dia. E isso é ainda mais preocupante ao se considerar que estudiosos defendem que a recomendação de 550 mg por dia é apenas suficiente para prevenir sinais e sintomas de doenças - mas não para a saúde ótima. Dados apontam que alguns homens podem necessitar de até 850 mg por 70 kg por dia de colina.

Como expliquei aqui, há algum fundamento científico para supor que o piracetam possa aumentar um pouco mais as exigências de colina.

Mas não acho que esse deva ser o foco. Basta pensar que 1) a colina é importante para o cérebro; 2) ela já é consumida aquém do necessário. Logicamente, prestar atenção no consumo de alimentos ricos em colina (a gema do ovo é uma fonte generosíssima dessa vitamina; carnes e pasta de amendoim são boas também) é importante - independente do piracetam. Recomendações individuais devem ser dadas por um médico.

10. Como o piracetam age no no cérebro?

A literatura reconhece várias ações do piracetam no cérebro. Ele tem alguma atividade antioxidante, é um neuroprotetor (resguardando o cérebro de insultos físicos e químicos), facilita a atividade elétrica do cérebro (a condução nervosa, isto é), aprimora o metabolismo cerebral e exerce efeitos em vários sistemas de neurotransmissores. 

O X da questão - que permanece obscuro - é qual mecanismo é o mais relevante para os seus efeitos. Em 2010, pesquisadores apontaram que o mecanismo de ação principal do piracetam "permanece um enigma". Há duas teorias principais, eu diria. Se você está interessado em pouco de neuronerdice, vamos lá:

A primeira é a "hipótese da membrana". As células do seu cérebro (e todas as outras) possuem uma embalagem que tem a função de proteção estrutural. Essa muralha que separa o mundo do neurônio do mundo exterior chama-se membrana plasmática.
Uma membrana plasmática e uma proteína de membrana
O piracetam parece melhorar a fluidez das membranas que revestem os neurônios, em especial quando ela está comprometida. Essa fluidez é super importante, em especial para os neurônios. Na membrana neuronal (esse tapete em cores roxa e azul na foto acima), tem várias proteínas que ficam bailando (as coisas estranhas e verdes que atravessam o tapete) - só aguardando o encontro de amor com um neurotransmissor. 

Quando há o encaixe à lá Lego entre proteína de membrana e neurotransmissor, temos uma comunicação entre neurônios. É a consagração de uma sinapse química. Imagine se as membranas fossem rígidas como inox: as proteínas não teriam muita mobilidade para ir de encontro ao seu neurotransmissor. Menos sinapses.

Ao auxiliar na "saúde" das membranas celulares, o piracetam poderia favorecer a comunicação entre os neurônios e a consolidação de novas sinapses. Em outras palavras, uma melhora na consolidação de memória.
O piracetam pode potencializar a atividade glutamatérgica e, assim, fortalecer a formação de sinapses, daí beneficiando a memorização de longo-prazo
Outra teoria tem mais a ver com os sistemas de neurotransmissores. Há descrição na literatura de que o piracetam aumenta a neuroplasticidade e facilita a transmissão nervosa da acetilcolina e do glutamato - neurotransmissores envolvidos com a memorização.


O glutamato, em especial, ao se ligar a receptores proteicos chamados NMDA (inseridos em membranas, diga-se de passagem) causa um fortalecimento das sinapses. Esse é um processo chamado de LTP, considerado um dos pilares da formação de memórias de longo-prazo. O piracetam aumenta o número desses receptores NMDA - potencialmente facilitando as conexões entre neurônios e, assim, otimizando a memória e o aprendizado.

11. Como posso conhecer mais sobre o piracetam e outros melhoradores cognitivos?
Compre o meu livro, o "Turbine Seu Cérebro - O Guia Completo de Nootrópicos ". Nele, eu falo mais sobre o uso do piracetam para afiar a memória. E, junto disso, descrevo outras várias substâncias que também aumentam a inteligência e funções cognitivas: concentração, aprendizado e motivação. Clique aqui para comprar o e-book!


Texto: Matheus Pereira
Edição de imagens: Thauan Mendes (designer gráfico)

29 comentários:

  1. Mas hoje em dia não existem opções que fazem mais com menos, e até mais rápido como Phenylpiracetam, Oxiracetam, etc ?
    No meu ver, comprar piracetam hoje em dia seria o mesmo que na hora de comprar um carro, escolher o fusca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wagner, o fenilpiracetam e o oxiracetam possuem, de fato, perfil distinto do piracetam. O oxiracetam é mais potente que o piracetam, enquanto o fenilpiracetam, além de atividade nootrópica, exerce ação psicoestimulante (mais favorável em alguns casos). Contudo, essas substâncias não são consideradas medicamentos no Brasil. Isso as tornam pouco acessíveis.

      Há a possibilidade da importação. A Anvisa não reconhece substâncias como fenilpiracetam ou oxiracetam como medicamentos, nem como ilícitas. Simplesmente, são substâncias não regulamentadas. Isso significa que podem ser importadas. A importação não é simples: o ideal seria a compra dos medicamentos (isto é, produzidos em laboratório farmacêutico e comercializados em farmácias estrangeiras), não de fontes duvidosas. Desconsiderando-se a burocracia que envolve esse processo idealizado, o uso deveria ser prescrito e orientado por um médico - classe que, por sua vez, desconhece, quase que em totalidade, a existência de fenilpiracetam e oxiracetam, justamente porque não são medicamentos no Brasil, e logo, não são prescritos na prática clínica.

      Caso alguém desejasse fazer o uso com bom senso de fenilpiracetam e oxiracetam, entre outros não regulamentados, seria um processo totalmente dificultoso. O piracetam é mais acessível e reconhecido.

      Dito isso, nesse blog há artigos sobre o fenilpiracetam e outros da classe racetam.

      Excluir
    2. Nada que um bom inglês e um bom discernimento na hora de filtrar informações não resolva. Existe muito conteúdo bom la fora, inclusive em vídeos, ainda que a maioria em inglês, no sentido de orientação sobre dosagens, relatos de efeitos positivos e negativos e de onde comprar com segurança. Aliás essa seria minha sugestão para o blog. Um post ensinando como importar e quais sites são confiáveis. Mas pelo visto vc é contra.

      Excluir
  2. Sente-se algum efeito no primeiro dia de uso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um estudo notou que houve uma melhora do processamento de informações e da performance cognitiva após uma única dose de piracetam. Alguns usuários reportam, anedoticamente, que as cores ficam realçadas e mais intensas após o uso do piracetam.

      Excluir
  3. Sempre tive problemas com o piracetam, mesmo tendo associado ele a uma boa fonte de colina (lecitina de soja PHOS3), principalmente no quesito irritabilidade e dores de cabeça. Esse dias solicitei um alpha gpc para fazer um último teste em um stack. Também variei a quantidade consumindo hora 4, depois 3 e finalmente 2 comprimidos de 800mg por dia o que pareceu ser a dosagem ideal para mim. Uso quando costumo precisar de um boost na sociabilidade e no foco. Tive experiências com ritalina e modafinil, e me parece que o combo alpha gpc + 1600mg de piracetam foram os mais bem aceitos pelo meu organismo no quesito melhoria de foco. Além disso, senti uma considerável melhoria na fluidez verbal e dicção.

    ResponderExcluir
  4. O que tu me diz sobre associar do uso de Stavigile com Piracetam?

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo blog Matheus!
    Abraço
    Dr Yuri Galeno
    Endocrinologista

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá matheus,
    por acaso vim parar no seu blog e me interessei muito por tudo que li, futuramente devo adquirir o ebook para dar uma força no seu trabalho. Mas me tire uma dúvida... Qual médico devo consultar para ter essa prescrição? (e junto a ele fazer o relato dos efeitos)
    Tenho certa dificuldade para fazer leituras e assistir aulas longas, me sinto bem desinteressado e com pouca atenção até mesmo quando o assunto é importante para mim.

    Desde já agradeço o auxílio, e quem sabe posso fazer uns relatos para você utilizar no blog.
    Valeu

    ResponderExcluir
  8. Olá matheus,
    por acaso vim parar no seu blog e me interessei muito por tudo que li, futuramente devo adquirir o ebook para dar uma força no seu trabalho. Mas me tire uma dúvida... Qual médico devo consultar para ter essa prescrição? (e junto a ele fazer o relato dos efeitos)
    Tenho certa dificuldade para fazer leituras e assistir aulas longas, me sinto bem desinteressado e com pouca atenção até mesmo quando o assunto é importante para mim.

    Desde já agradeço o auxílio, e quem sabe posso fazer uns relatos para você utilizar no blog.
    Valeu

    ResponderExcluir
  9. Olá matheus,
    por acaso vim parar no seu blog e me interessei muito por tudo que li, futuramente devo adquirir o ebook para dar uma força no seu trabalho. Mas me tire uma dúvida... Qual médico devo consultar para ter essa prescrição? (e junto a ele fazer o relato dos efeitos)
    Tenho certa dificuldade para fazer leituras e assistir aulas longas, me sinto bem desinteressado e com pouca atenção até mesmo quando o assunto é importante para mim.

    Desde já agradeço o auxílio, e quem sabe posso fazer uns relatos para você utilizar no blog.
    Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um neurologista já lhe ajudaria a obter um diagnóstico e ele pode lhe receitar remédios como Concerta ou Ritalina e fazer o acompanhamento! Abraços e sucesso!

      Excluir
  10. Parabéns pelo blog. Tira-Me uma duvida: Tomar piracetam + complexo B pode? Ou com Memoriol B6? Quais vantagens ou desvantagens?

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente SENSACIONAL! Espero que funcione mesmo, vou pedir ao neuro uma receita e começar a usar. Tenho muita dificuldade de concentração e de reter informações. Sem contar no sono agitado que me deixa com um desempenho péssimo durante o dia.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Olá Matheus.
    iniciei o uso do Piracetam a duas semanas sinto um pouco de sonolência mas sei que esse efeito é normal e temporária, mas o meu caso é a tal da concentração cara isso me afeta muito, sei onde esta todas as informações mas não consigo acessesa-las

    ResponderExcluir
  13. Olá,o uso do Piracetam junto com a l-teanina é aconselhável?

    ResponderExcluir
  14. Testei piracetam por 1 mês, 4 capsulas de 800mg por dia, 2 de 12 em 12 horas junto com 1200mg de colina. Notei uma melhora na habilidade da fala e raciocinio, porém os efeitos negativos me fizeram parar de usar como sonolência e cansaço excessivo, irritabilidade, dormia como uma pedra e comecei a roncar muito, depois que parei de usar, parei de roncar também. Coincidência ou não optei por outra combinação que me tem feito muito bem : 400mg de rhodiola rosea, 200mg de l-teanina e 200mg de bacopa monieri, mandei manipular os 3 e tomo essa dosagem de manhã.

    ResponderExcluir
  15. Noopept é realmente superior ao piracetam? Existe efeito estimulante do noopept? Eu já usei vários nootrópicos e não vi nenhum beneficio,entretanto,ao usar VENVANSE,que não é nootrópicos,sinto realmente um efeito e vontade de usar a mente para resolver cálculos e leitura,todavia,após algumas horas o efeito acaba é a vontade de fazer atividade que utilizei a cognição acaba? Tem explicação? Fui diagnosticada com TDAH,tenho tremenda difículdade de ler algo ou fazer cálculos,minha mente não consegue manter um raciocínio muito tempo, NOOPEPT melhora isso?

    ResponderExcluir
  16. Nao.adianta tomar e ser burro!🐴

    ResponderExcluir
  17. Quanto tempo dura o efeito?

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde. Matheus, você sabe dizer qual é a meia vida do Piracetam?
    Outra dúvida é com relação a administração junto com Arcalion. Você tem algum relato de uso desses dois nootropicos simultaneamente?

    Desde já agradeço e um grande abraço.

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde MATHEUS, tenho um filho de 17 anos que esta com dificuldades na escola, porem ele tem diabetes 1. Gostaria de dar a ele o nootropil, mas antes preciso saber se tem algum problema em decorrencia do diabetes. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me chame no whatsap q lhe tiro as dúvidas e lhe passo informações (n vou lhe vender nada) 77 991566401 Glauber

      Excluir
  21. Cara, porque usar o piracetam se poderíamos usar o GABA??? Qual a vantagem de se usar o piracetam ao inves do GABA ???

    ResponderExcluir
  22. Ola. Espero que estejas bem!
    Adorei seu artigo... muito esclarecedor.

    Me tira uma duvida: Faço uso de Citoneurin injetavel 5000 - uma vez ao mês ... vc acha necessário a reposição de colina?

    ResponderExcluir