segunda-feira, 24 de julho de 2017

Como aumentar os níveis de dopamina

ATENÇÃO: Não se automedique. Consulte um médico antes de utilizar qualquer suplemento ou medicamento.


A dopamina é o combustível que alimenta o nosso lobo frontal, o centro cerebral da concentração. O lobo frontal é o "chefão" do seu cérebro: ele permite bloquear as distrações externas e garante que você esteja focado e produtivo. Isso se os seus níveis de dopamina estiverem ótimos...

E, mais que isso, a dopamina governa o quão árduo você está disposto a trabalhar para atingir um objetivo. A dopamina nos confere ânimo e motivação para conquistar metas. Pouca dopamina significa preguiça, falta de vontade. E mais dopamina é produtividade avassaladora e energia arrebatadora.

Recomendo fortemente que você dê uma lida no meu post sobre dopamina para entender melhor sobre as funções e as glórias desse neurotransmissor (e dos perigos do seu excesso). Basta clicar aqui. Hoje, o assunto é outro: você vai conhecer, sem muitas delongas (por falta de tempo do autor que te escreve), alguns dos nootrópicos que permitem aumentar a concentração de dopamina no cérebro.


Acetil L-Carnitina (ALCAR)

Esse nootrópico é um derivado do aminoácido carnitina (presente na dieta). A forma acetilada faz toda a diferença: garante que esse aminoácido penetre melhor no cérebro. Anedoticamente, o ALCAR promove um aumento sutil da energia e vitalidade - nada comparável à cafeína.

Sua ação principal é a melhora da atividade colinérgica e, por conta disso, é comumente usado em conjunto aos racetams. Esse é um ótimo stack, inclusive: o ALCAR potencializa os efeitos do piracetam na acetilcolina, exerce efeito neuroprotetor e anti-inflamatório aditivo e antagoniza a sonolência que é reportada por usuários do piracetam. Por fim, o ALCAR garante a manutenção da liberação de dopamina no cérebro em situações de estresse (estudo).
Estudo em centenários mostrou que a carnitina "facilita uma capacidade maior de atividade física e cognitiva" por "reduzir a fadiga e melhorar as funções cognitivas"; outro estudo em animais apontou que o ALCAR, combinado ao ácido alfa-lipoico, é capaz de melhorar o aprendizado e a memória.

Onde encontrar: a dose usual é de 500 mg. Pode ser obtido em farmácias de manipulação que, em geral, exigem uma receita médica.

Fenilpiracetam

Um dos meus nootrópicos preferidos. É praticamente a versão nootrópica da Ritalina. Um casamento entre anfetamina e piracetam, diga-se. Inicialmente era usado somente por cosmonautas russos como psicoestimulante e neuroprotetor. Em seguida, caiu no gosto dos atletas - de tão poderosa em aumentar a disposição e reduzir a fadiga, hoje é considerada doping. 

E, por fim, hoje é a queridinha do mundo dos nootrópicos. É utilizada na Rússia para o combate da astenia - ou seja, do cansaço físico e mental extremos. Já foi comprovado que, nessas condições, o fenilpiracetam melhora a memória e a capacidade de concentração. A bula russa enumera uma série de benesses:
"A droga contribui com a consolidação da memória, melhora a concentração e a performance mental, facilita os processos de aprendizado, acelera a transferência de informação entre os hemisférios do cérebro (...), regula a ativação e a inibição do sistema nervoso, melhora o humor (...), melhora a performance física (...) aumenta a resistência do corpo ao estresse e à sobrecarga física e mental, fadiga (...). 
O perfil estimulante do fenilpiracetam é ideal. Efeitos psicoestimulantes da droga são combinados com atividade ansiolítica (...). Tem efeitos analgésicos, aumentando a tolerância à dor (...). Fenilpiracetam tem um efeito adaptogênico (...).
O fenilpiracetam também propiciou melhoras na capacidade visual (aumento da precisão, brilho e campo de visão).

A ação do fenilpiracetam é igual à da Ritalina: bloqueia proteínas responsáveis pela retirada de dopamina das sinapses, permitindo que esse neurotransmissor fique ativo por mais tempo. Assim, intensifica as ações da dopamina no cérebro. Na imagem acima, estudo demonstrando aumento da dopamina no cérebro de ratos que receberam o fenilpiracetam. Mais sobre o fenilpiracetam aqui aqui.

Onde comprar: é possível importá-lo, mas o processo é mais burocrático. É razoável fazê-lo sob orientação médica.

L-tirosina

É um aminoácido encontrado na dieta e é a matéria-prima que o seu cérebro utiliza para fabricar a dopamina. É perfeitamente combinado a qualquer um dos outros nootrópicos dessa lista. Tem efeito estimulante leve, aumentando a sensação de alerta e energia.

Os cientistas apontam que a l-tirosina é especialmente bem empregada em situações de estresse - como no esforço físico e mental extenuantes. Essas situações levam a um uso maior de dopamina - a ponto de que ela passa a faltar no cérebro, com piora da motivação, vitalidade e desempenho intelectual. Nesses casos, é clinicamente comprovado que a suplementação com tirosina reverte os efeitos deletérios do estresse na cognição.

Onde comprar: é possível comprar em farmácias de manipulação, geralmente sob prescrição médica.

Fluoromodafinil

É a versão "monstra" do modafinil. Você talvez já saiba: o modafinil é um eugeroico - droga capaz de aniquilar o sono e aumentar profundamente a sensação de vigília e o alerta, além de restaurar as funções cognitivas comprometidas pela privação de sono. Também é comprovado que, mesmo sem privação de sono, o modafinil aumenta as funções executivas - como concentração, planejamento e tomada de decisões.

O fluoromodafinil é tudo isso, só que melhor. A adição de átomos de fluor à molécula do modafinil aumenta a seletividade da droga por receptores específicos. Um deles são receptores nas moléculas que retiram a dopamina das sinapses. O fluoromodafinil é bem específico em bloqueá-los, garantindo que mais dopamina fique livre no cérebro e estimulando neurônios. Além disso, o fluoromodafinil teria menos efeitos colaterais, segundo o seu desenvolvedor.

A droga é experimental - ou seja, ainda está em fase de avaliação clínica e não chegou às farmácias em nenhum país. Testes em animais demonstram que a droga é quatro vezes mais eficiente que o modafinil em aumentar a motivação e a capacidade de persistir na conquista de objetivos e metas. Clique aqui para saber mais.

Onde comprar: trata-se de uma droga experimental. Embora, na teoria, tenha efeito dopaminérgico relevante, o fluoromodafinil não foi analisado clinicamente quanto a sua eficácia e segurança em humanos. O uso exige muita cautela e deve ser feito apenas sob orientação de um médico. É possível importá-lo, mas o processo é burocrático e seria muito recomendado fazê-lo somente sob orientação médica.

Quer saber mais? Confira meu e-book!


Certamente, vale a pena se aprofundar nos nootrópicos e nas intervenções capazes de aumentar a cognição. Existem muitos outros além dos discutidos até aqui. O propósito dos nootrópicos é preservar o cérebro e, ao mesmo tempo, a depender da substância, melhorar funções como concentração, memória, aprendizagem, raciocínio, resolução de problemas, planejamento, fadiga, motivação e bem-estar.

Eu investigo - em textos científicos e por meio de experiências pessoais - a eficiência e a segurança dos nootrópicos, no meu e-book, o Turbine Seu Cérebro. Os vários nutrientes que são fundamentais para o bom funcionamento do cérebro também são discutidos.

Além de lhe oferecer as minhas experiências pessoais com os nootrópicos, eu também mostro os vereditos da ciência sobre 16 nootrópicos: como eles atuam no cérebro e em que situações eles são úteis. Tudo isso numa linguagem muito agradável e de fácil entendimento.

Clique aqui para saber mais sobre o e-book.

2 comentários:

  1. Tenho muita vontade de experimentar Modafinil, porém será que vai aparecer em teste toxicológico como anfetamina?

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre importo suplementos pelo site evitamins. É 100% garantido, entrega rápida e super qualidade.
    Pelo link abaixo você ganha desconto na 1a compra. Recomendo.
    https://www.evitamins.com/br/?ref=1554177

    ResponderExcluir