segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O Guia de Colina para Calouros (II)

Atenção: a suplementação de colina deve ser orientada por um nutricionista. Quanto ao uso de medicamentos, como o piracetam, deve ser orientado por um médico. Esse artigo tem apenas fins informativos.


Parte 2: é verdade que a combinação de colina e piracetam melhora o desempenho cognitivo?

Há certas combinações que parecem perfeitas. Romeu e Julieta e, se você não é de São Paulo, pizza com ketchup. Para entusiastas de nootrópicos, a colina - nutriente importante para o funcionamento cognitivo, como vimos na parte 1 -  é a tampa e o famoso piracetam - medicamento que creem que melhoraria a memória e raciocínio - seria a panela. 

Segundo o website do autointitulado "Instituto de Pesquisa de Melhoramento Cognitivo":
"Quando colina e piracetam são utilizados juntos, há um efeito sinérgico que causa uma melhora de memória maior do que a soma de cada um deles quando usados isoladamente.

Conhecemos uma pessoa que alega se sentir levemente agitada e deprimida se ela usar o piracetam por mais de uma semana sem um suplemento de colina. Esse sentimento é aliviado nela com uma única dose de colina. Pode ser que o piracetam faz com que a acetilcolina seja usada mais rapidamente e que a colina ajude a substituir esse importante neurotransmissor".

Isso é apenas "viagem" ou será que combinar esses dois agentes poderia produzir um efeito positivo na memória? Pacientes que foram prescritos piracetam precisam aumentar a ingestão de colina? É isso que vou analisar em detalhes nesse post.

Relembrando a importância da colina
Primeiro: como expliquei na parte I da série "O Guia de Colina", a colina é um nutriente fundamental para o cérebro. Por que?

Para início de conversa, seus neurônios são cercados por uma "muralha de proteção" - a chamada membrana plasmática. A colina dá origem à fosfatidilcolina, um dos tijolos dessa muralha. 

Essa muralha decide o que entra e o que sai dos neurônios. É fundamental, portanto, para absorver nutrientes e excretar toxinas.

Além de manter a "casa em ordem" e garantir a saúde dos neurônios, a colina também participa na fabricação de acetilcolina, importante neurotransmissor, envolvido em circuitos de memória, aprendizado, alerta e atenção.

Piracetam e colina: o que é mais importante?


Esses são apenas dois dos efeitos da colina - há muitas ações importantes desse nutriente no corpo. O moral da história é que, por si só, a colina é fundamental. 

O mesmo não podemos falar dos racetams, como o piracetam, pois esses são medicamentos sintéticos - e não um nutriente que o cérebro precisa, caso da colina.

Inclusive, muitas pessoas são deficientes de colina. Nos Estados Unidos, a população de adultos que ingere menos colina que o recomendado é de 90% (1). É um número bem alto.

Então, a colina é mais importante. Se você tiver que escolher entre o piracetam ou a colina (veremos as fontes desse nutriente na parte III do Guia), não ponha a carroça na frente dos bois.

A alimentação equilibrada (que deve incluir a colina), o exercício físico e a qualidade do sono vem antes de qualquer nootrópico e devem ser sua prioridade!

Há benefício em combinar piracetam e colina?
Na Índia, piracetam e citicolina (uma fonte de colina) são combinadas num medicamento chamado Citicode-p, indicado para tratar sequelas de AVCs


Você já sabe que a colina é essencial. Suponhamos, então, que você não possua qualquer deficiência em colina (e consuma os 550 mg recomendados pela Anvisa [2]). Suponhamos que esteja utilizando piracetam - sob orientação médica, pois trata-se de um medicamento.

Nesse caso, haveria benefícios cognitivos em aumentar o consumo de colina ao fazer uso do piracetam (Nootropil)?

Primeiro: a evidência científica que aponta que o piracetam beneficie a memória ou o desempenho cognitivo em pessoas sem doenças é muito escassa, por si só, como falei neste post.

Quanto ao piracetam e a colina, essa teoria de que a dupla tenha efeitos mais potentes quando combinada vem de estudos bem antigos.

Em março de 1981, o periódico norte-americano Neurobiology of Aging divulgou um estudo investigando a coingestão de piracetam e colina em ratos idosos (3). O estudo leva o nome de "Profundos efeitos da combinação de colina e piracetam na melhoria da memória e função colinérgica de ratos idosos". 

Esse estudo tem vários problemas. Ele foi conduzido por pesquisadores da American Cyanamid, uma empresa que justamente comercializava suplementos de colina. Então, há certos vieses e você deve olhar para os resultados com ceticismo. 

Além disso, não é um ensaio clínico, e sim um estudo em animais - e ainda ratos com déficits de memória por causa da idade avançada

Com isso em mente, vamos analisar o estudo:

Os pesquisadores dividiram ratos senis em quatro grupos distintos:
  • O que recebeu placebo (soro fisiológico)
  • O que recebeu apenas colina
  • O que recebeu apenas piracetam
  • O que recebeu uma combinação de piracetam com colina (numa proporção de 1:1)
Todos os ratos foram submetidos a um teste de memória antes e depois de receberem esses tratamentos. O objetivo era conferir se aqueles que receberam piracetam com colina levariam "vantagem" sobre os demais grupos.

Avaliando a memória dos ratos
Para você entender como esse teste de memória funciona, te proponho algumas perguntas: você atravessa a rua sem olhar pros lados? Coloca os dedos em uma tomada elétrica? Ou então andaria despreocupado por um lugar perigoso onde você já foi assaltado uma vez?

Se você não é um louco e viciado em adrenalina, sua resposta foi "não" para todas as perguntas. Você sente medo dessas situações porque aprendeu a sentir medo. Esse aprendizado - que é uma forma de memória - é essencial para a sua sobrevivência.

Os ratos também aprendem a sentir medo. E é justamente isso que os pesquisadores exploraram nesse estudo, no teste de esquiva inibitória. No teste, os ratos são colocados em câmaras com dois compartimentos: um iluminado e outro escuro, com uma pequena porta separando os dois.



Como ratos possuem hábitos noturnos, eles preferem o ambiente escuro. Porém, ao cruzarem para o compartimento sem luz, eles recebem um pequeno choque elétrico por dois segundos. O esperado é que eles criem uma memória "traumática", associando aquele compartimento escuro com o choque.

A fim de avaliar a memorização, os ratos são colocados de volta, 24 horas depois, no compartimento claro. Considera-se que quanto mais tempo eles demoram para ir compartimento escuro, mais forte é a lembrança do choque e maior o aprendizado.

Da esquerda para a direita, as barras indicam: "placebo", "colina", "piracetam" e "combinação de piracetam e colina". Observe aumento da memória na combinação colina + piracetam

Na esquerda, está a performance dos ratos no primeiro dia. Observe que quase não há variação no desempenho deles: todos demoraram menos de 20 segundos para entrar na câmara escura. O tempo é dado no eixo vertical (ordenadas).

Agora, analise o lado direito - que avalia a aquisição do aprendizado 24 horas após o choque, na segunda sessão. O grupo que recebeu placebo (saline) foi quem teve pior retenção de aprendizado.

Já os ratos que receberam colina ou piracetam isoladamente se deram melhor que o grupo placebo. No entanto, esse não foi um resultado muito expressivo.

O piracetam aumentou a consolidação
de aprendizados em
ratos idosos
Ao analisarmos ratos que receberam a combinação de piracetam com colina (C + P), é fácil observar que eles tiveram a maior consolidação de memória. Eles ultrapassam a barreira dos 150 segundos no ambiente claro. Eles aprenderam melhor que o outro ambiente poderia lhes render um choque.

Os pesquisadores desse estudo foram além. Eles também avaliaram se o combo de piracetam e colina teria algum efeito cumulativo, ou seja, mais benefícios se usado em longo prazo. Eles verificaram que o uso dessa combinação por 7 dias produziu resultados ainda mais expressivos na memória:

Da esquerda para a direita, as barras indicam: terapia com placebo, uso crônico e agudo de colina, uso crônico e agudo de piracetam, uso agudo de piracetam com colina, uso crônico de piracetam com colina e uso crônico e agudo de piracetam com colina

Segundo os autores:
"O estudo mostra claramente que há uma interação robusta entre piracetam e colina - com efeitos comportamentais e neuroquímicos maiores do que o uso dos agentes isoladamente".  (3)

Outro estudo, dessa vez feito na Bulgária e em ratos sem problemas na memória, também reforçou o potencial da combinação de piracetam com colina (4).

Resultados conflitantes em pacientes com Alzheimer
Esse estudo foi feito em ratos.

Do ponto de vista genético, biológico e comportamental, temos importantes semelhanças com os roedores - por isso, eles são tão usados em estudos científicos (5). O mesmo estudo que eletrocutou centenas de ratos lá em 1981 diz que "há similaridades entre o déficit de memória em ratos idosos e a perda de memória primária em humanos idosos".

Mesmo assim, os resultados acima não podem ser extrapolados com total confiança para humanos. 

Estudo indicou que a combinação de lecitina de soja e piracetam não oferece benefícios a pacientes com Alzheimer, sendo criticado posteriormente

O próximo passo natural nas pesquisas é investigar a combinação de colina e piracetam em humanos com doenças que afetam a memória.

"Pegando o bonde", foi o que outros pesquisadores fizeram. Os resultados em pacientes com Alzheimer foram contraditórios. Um grupo relatou que a combinação de lecitina (fonte de colina) e piracetam teve efeitos melhores em avaliações neuropsicológicas que o uso de placebo.

Já outros testaram a combinação de piracetam - em doses de até 9,9 gramas por dia - em conjunto com a lecitina de soja, fonte de fosfatidilcolina, em pacientes com Alzheimer.

No resultado, foram enfáticos: com colina ou sem colina, o piracetam não melhorou o desempenho cognitivo de nenhum dos voluntários com Alzheimer (6).
"Piracetam, seja sozinho ou em combinação com a fosfatidilcolina (...) não aumentou desempenho em testes (cognitivos) de nenhum paciente com Alzheimer" (6).
E em pessoas saudáveis?
Não podemos tirar muitas conclusões sobre os efeitos do piracetam e da colina em pessoas saudáveis a partir de estudos em pacientes com Alzheimer.

Um estudo investigou os efeitos de únicas doses de lecitina (25 g) e piracetam (4.8 g) em pessoas saudáveis. Os autores realizaram "medidas neuropsicológicas" - e que a combinação de piracetam e colina não foi eficaz em nenhma delas. Como apenas o resumo do estudo está disponível, não é possível saber que testes foram utilizados e quais funções cognitivas foram avaliadas.

É possível que o piracetam tenha efeitos só em longo-prazo, ao menos para a memória. Um estudo antigo e muito pequeno, o piracetam isoladamente aumentou a memória verbal de jovens após 14 dias de uso (9) - mas nenhum efeito foi notado antes, aos 7 dias.

Já em mulheres adultas e saudáveis, a citicolina (uma fonte de colina) foi capaz de melhorar o desempenho em testes que avaliavam a atenção (11).

É difícil supor se esses efeitos podem ser maiores em conjunto. São necessários estudos que avaliem os efeitos dessa combinação em pessoas jovens e saudáveis (e também em pacientes de doenças degenerativas).

Como a colina e o piracetam poderiam estar "entrelaçados" e interagir - hipóteses farmacológicas
Autores apresentam algumas hipóteses para justificar a combinação de colina e piracetam.

Há estudos em animais que indicam que o piracetam poderia estimular o sistema colinérgico (vias que usam acetilcolina) no cérebro (12) (13). A acetilcolina é importante para coordenar a formação de memórias e também para regular nossa atenção e alerta.

No cérebro de ratos, o piracetam reduziu os níveis de acetilcolina (14). Cientistas acreditam que isso ocorre porque o piracetam aumentaria a liberação de acetilcolina de um modo que, no fim, acabaria 'esgotando' a acetilcolina no cérebro (depleção).

Autores do estudo que "eletrocutou" ratos de laboratório, em 1981, também inferiram o mesmo. Eles constataram que o piracetam reduziu em 19% os níveis de acetilcolina no hipocampo ("centro da memória") e hipotetizaram que isso foi o resultado final de um aumento na liberação deste neurotransmissor (3).

O piracetam causaria aumento na liberação da acetilcolina (Ach) nas fendas sinápticas, em especial no hipocampo. A colina é usada para a biossíntese de acetilcolina e "reposição" do neurotransmissor.

Ao mesmo tempo, o piracetam melhoraria a fluidez da membrana plasmática; enquanto a colina aumenta a síntese de um dos constituintes dessa membrana. Com isso, a transmissão sináptica também é favorecida

Esses autores verificaram que a colina, por sua vez, aumentou a "fabricação" de acetilcolina. Assim, a hipótese deles é que a colina corrigiria um déficit que o piracetam causaria. Acreditam que é por isso que a combinação dos dois agentes foi mais benéfica para a memória dos animais que o uso isolado.

Desse modo, haveria uma sinergia entre o piracetam e fontes de colina. Evitaria-se a depleção de acetilcolina causada pelo piracetam (droga que aumenta a atividade neuronal) a partir do uso de doses adequadas de colina (17). 

Conclusão
  • A colina é um nutriente fundamental para o cérebro, em qualquer circunstância.
  • As evidências de que o piracetam, por si só, melhore a função cognitiva de pessoas saudáveis já são muito escassas. A combinação de piracetam com colina foi investigada apenas em um estudo, em que uma única dose foi usada, sem efeitos em avaliações neuropsicológicas.
  • Já estudos em ratos idosos, com déficits de memória, sugeriram que o piracetam e a colina tem efeitos sinérgicos na memória e aprendizado. 
  • Há medicamentos ao redor do mundo que combinam citicolina (fonte de colina) e piracetam no tratamento de sequelas de AVC. Essa combinação, num mesmo medicamento, parece não existir no Brasil. Evidências da eficácia dessa combinação em pacientes com Alzheimer são contraditórias.
  • Hipóteses farmacológicas sugerem que a colina poderia "contribuir" com os efeitos do piracetam. Acredita-se que o piracetam aumente a liberação de acetilcolina, neurotransmissor que coordena memória e atenção. A colina forneceria "combustível" para manter os níveis de acetilcolina. Novamente, isso é apenas uma hipótese.
  • O uso de piracetam deve ser orientado por um médico.
NO PRÓXIMO ARTIGO DO "GUIA DE COLINA": Qual é a melhor fonte de colina? Uma comparação entre as fontes dietéticas, a lecitina de soja, as fontes inorgânicas, o Alpha-GPC, a citicolina e o DMAE.

Descubra mais: como melhorar o desempenho do seu cérebro

Confira aqui a segunda edição do meu livro, "Turbine Seu Cérebro". Nele, você descobrirá: 

  • Tudo sobre nootrópicos - substâncias que prometem aumentar a capacidade de concentração, melhorar a memória, humor e raciocínio. Eu coletei relatos de uso e também pesquisei o veredito da ciência sobre a eficácia e segurança de dezenas desses compostos.
  • Estratégias e mudanças de estilo de vida, como a melhora da qualidade de sono, para otimizar seu desempenho mental.
  • Como os alimentos podem impactar a sua performance cognitiva e seu humor.
  • Tudo isso numa linguagem agradável e acessível e em uma obra impecavelmente ilustrada, pioneira sobre o tema no Brasil.

Clique aqui para saber mais!

27 comentários:

  1. E o epocler é uma boa fonte colina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Epocler contém 100 mg de citrato de colina a cada 1 mL. Os flaconetes são dispostos em soluções de 10 mL, então, ao todo, tem-se 1000 mg de citrato de colina. Segundo a Anvisa, a Ingestão Diária de Recomendada de colina em adultos é de 550 mg.

      Ocorre que a forma citrato de solina é uma forma salina. A absorção não é tão alta. O uso de lecitinas é uma opção melhor - pois a absorção de colina é mais elevada. Após a ingestão da lecitina, os níveis plasmáticos de colina sobem 285%, em comparação com apenas 86% de aumento após doses elevadas de cloreto de colina (2 - 3 gramas).

      O ovo é uma fonte rica de lecitina, se você não preferir a lecitina de soja (cercada por muitas controvérsias). Há também fontes nobres e pouco acessíveis: Alpha-GPC e citicolina.

      Importante lembrar que o Epocler não é (tecnicamente) um suplemento, mas sim um medicamento vendido sem prescrição. Sua indicação é a "remoção da gordura infiltrada no fígado e outras toxinas". O Epocler auxilia no metabolismo de proteínas e gorduras. Além de colina, ele tem betaína e racemetionina - aminoácidos.

      Excluir
    2. https://goo.gl/7kzDAj Aqui está a referência para os dados que citei

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Se a ingestão diária recomendada é de 550mg de colina e considerando que um ovo (gema + clara) tem cerca de 100 a 120 mg de colina, não seria melhor indicado a ingestão de 5 ovos por dia? Lembrando que ovos agora já não é mais um vilão e tem inúmeros outros benefícios à saúde

      Excluir
  2. Será que se eu usar o Nootropil sem a lecitina de soja vou ter dores de cabeça sempre ?Porque a grana esta curta e minha memória esta pífia ,não lembro absolutamente nada e olha q tenho 22 ,e a memoria e o raciocínio parece de cem ou você tem alguma outra opção para que quando eu for ao psiquiatra fale dele?.Será que o nootropil da jeito ?Estou tomando uma vitamina que não esta fazendo efeito algum Vitfort ,muito ruim ,pelo menos pra mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Júlio César, o uso da lecitina de soja ajuda a evitar deficiências de colina. Mas ele não é pré-requisito: existem várias fontes de colina na dieta - ela está nos ovos, por exemplo.

      Se você já tem um histórico de dores de cabeça, muitos nootrópicos podem exacerbar essa predisposição - porque eles interferem com os níveis de neurotransmissores. Um desequilíbrio de neurotransmissores (por exemplo, excesso de glutamato e falta de serotonina) pode favorecer as dores de cabeça. Mas existem muitos outros fatores a se olhar: estresse, falta de exercícios físicos, inflamação.

      O piracetam pode aumentar a atividade do sistema glutamatérgico - e o glutamato é um neurotransmissor que está implicado em dores de cabeça. Então, não é apenas a deficiência de acetilcolina um dos possíveis culpados das dores de cabeça no caso do piracetam.

      Recomendo que não faça o uso sem a orientação de um médico. O piracetam pode não ser ideal para você e ter um custo / benefício muito desfavorável. Não há muitas pesquisas embasando efeitos pró-memória do piracetam em pessoas jovens e sadias.

      Converse com seu psiquiatra a respeito do seu caso específico - e, se desejar, pesquise um pouco a respeito da Bacopa monnieri. Trata-se de uma substância apoiada por muito mais pesquisas científicas no sentido de aumentar a memória do que o piracetam - principalmente em pessoas jovens. A própria Bacopa pode causar dores de cabeça - mas eu acredito que o custo/benefício é muito mais favorável. O seu médico poderá orientá-lo melhor.

      No meu ebook, o Turbine Seu Cérebro, falo mais a respeito da Bacopa e também do 5-HTP - um nootrópico (ou "quase nootrópico") envolvido com a diminuição das dores de cabeça tensionais (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10849040).

      Excluir
    2. O noopept não seria uma opção boa ?Digo para memoria e raciocínio ?Ele não seria mas eficaz nesse quesito que o Bacopa monnieri?

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Matheus quais os outros nutrientes necessários para o bom funcionamento do nosso cérebro e que podem ser encontrados em forma de suplementos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vitaminas do complexo B, como um todo, são muito importantes para a produção de energia nas células. Cada uma participa de etapas diferentes que conduzem à geração de ATP. Algumas também são cruciais para sintetizar neurotransmissores.

      A carência de zinco está implicada em problemas de aprendizado, depressão e anedonia. É fundamental para a cognição.

      O magnésio também é incrivelmente importante - participando também de reações que envolvem a produção de energia. Sua carência pode causar problemas como ansiedade, estresse e depressão - que não ajudam muito em processos cognitivos.

      O ômega 3 é um poderoso anti-inflamatório, tendo um papel estrutural nos neurônios.

      Há muitos outros nutrientes - outras vitaminas, minerais, fosfolipídeos, antioxidantes - que são fundamentais para, pelo menos, a "baseline" cognitiva. Você pode conferir mais a fundo esses nutrientes e também outros no meu ebook - o Turbine Seu Cérebro: http://cerebroturbinado.blogspot.com.br/2015/08/compre-ja-o-ebook-turbine-seu-cerebro.html

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde

    Por favor, responda-me:
    1) Quais suplementos e substâncias podem aumentar a absorção de colina pelo organismo?
    2) Tendo em vista que não há no mercado brasileiro não temos suplementos de colina "especializados" - Alpha GPC, por exemplo -, quais sãos as melhores fontes para se obter ela em um preço acessível? lecitina de soja, levedura de cerveja(?), etc? Além disso, encontrei o produto 'Biotina + Colina' (no extra.com.br, por exemplo), é um produto bom como fonte de colina, e qual a relação da biotina com a colina e efeito daquela sobre o cérebro?

    Grato

    ResponderExcluir
  6. Matheus, boa tarde!

    Atualmente eu tomo Ritalina 10mg para tratar o meu DDA. Você tem algo a dizer sobre a combinação do Piracetam com a Ritalina?

    Aguardo sua resposta.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. http://lucioalves242.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Li em uma tabela nutricional que a gema do ovo tem 238 mg de colina a cada 17 g de gema (uma gema), ou seja, teria como trocar a lecitina da soja pela gema apenas ? Seria a mesma eficiência ingerindo na dose certa ?

    ResponderExcluir
  9. Dá para comprar suplemento de colina nos USA , comprar esse suplemento de colina para tomar com o piracetam seria melhor que a lecitina de soja ?

    ResponderExcluir
  10. Quem come 5 ovos ou mais por dia fica livre de tomar o alpha GPC ? Ou ele ai da seria útil?

    ResponderExcluir
  11. Quem come 5 ovos ou mais por dia fica livre de tomar o alpha GPC ? Ou ele ai da seria útil?

    ResponderExcluir
  12. Ola,busquei uma fonte de cloreto de colina, mas não obtive uma resposta bacana, e somente o suplemento de leticina de soja, qual outros, e qual quantidade adequada para se ter um resultado satisfatorio?
    Desde ja grata;
    Dayanna
    dayanna_peres@r7.com

    ResponderExcluir
  13. galera manda fazer na farmacia de manipulaçao.obs tem que ser em uma pequena que nao e uma rede grande se nas grandes redes eles exigem receita.e fala que vc ja mandou fazer outras vezes.j esta acostumada a usar a colina....

    ResponderExcluir
  14. E quando se tem hipotireoidismo e nao se pode fazer uso de nada que venha de soja? como faz?

    ResponderExcluir
  15. Matheus onde eu encontro colina pra vender ? só importada ?

    ResponderExcluir
  16. Muitobom seu blog.!
    No caso de crianças autistas, o que vc acha do uso do Nootropil,
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  17. Gostaria de saber como faço para descobrir quanto de colina e inositol tem em 100g de lecitina em pó e liquida para saber a dosagem correta de lecitina de devo ingerir diária. Verifiquei em varias tabelas nutricionais, porém só vem gorduras e carboidratos... Como faço para descobrir? tem um padrão?
    Qual a diferença da lecitina do ovo e da soja?
    Grata.

    ResponderExcluir
  18. Matheus,

    falam muito a respeito da isoflavona, que poderia ter ação feminilizante no homem, causar perda da libido etc. É seguro consumir as cápsulas de lecitina de soja?

    Eu já tenho pouca libido pra minha idade (29 anos). Não quero piorar mais as coisas.

    ResponderExcluir
  19. Meu médico me receitou a ritalina. A suplementação de Ritalina+colina também funciona? ou somente com o piracetan?

    ResponderExcluir