sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Ômega-3 (EPA e DHA) como nootrópicos

Ômega-3 (EPA e DHA)

Introdução

EPA e DHA são ácidos graxos poli-insaturados do tipo ômega-3, derivados de fontes marinhas (em especial peixes de águas frias e profundas). São nutrientes essenciais, isto é, que devem necessariamente ser obtidos na dieta. 

O ALA, ômega-3 presente em fontes vegetais (como a chia, por exemplo), precisa ser convertido pelo corpo em EPA e DHA, mas esse processo é pouco eficiente. O óleo de peixe é o suplemento fonte de ômega-3 (EPA e DHA) mais comum.

Mecanismos de ação

O DHA é o ômega-3 predominante no cérebro e acumula-se em regiões cerebrais associadas com memória e aprendizado, como o córtex cerebral e o hipocampo. Exerce papéis fundamentais. O DHA é incorporado na membrana neuronal, onde regula inúmeros processos, como neurogênese, neuroplasticidade, sinaptogênese e fluidez da membrana - o que, por sua vez, tem impactos na velocidade da transdução de sinais nervosos e neurotransmissão.

O EPA pode contribuir com a função cognitiva ao servir de substrato para a fabricação de eicosanoides, que amenizam a neuroinflamação e melhoram o fluxo sanguíneo cerebral devido aos seus efeitos antitrombóticos e vasodilatadores.

Além disso, o DHA melhora o tônus vascular, o que resulta em aumento do fluxo sanguíneo cerebral durante tarefas cognitivas em adultos saudáveis.

Evidências de eficácia

Um ensaio clínico randomizado mostrou benefícios cognitivos em termos de atenção sustentada e velocidade de reação em pessoas saudáveis que suplementaram óleo de peixe (contendo 1,6 g de EPA e 0,8 g de DHA) durante 35 dias. Também houve melhoras no humor, com aumento do vigor e redução de escores de raiva, ansiedade e depressão, segundo o estudo.

Uma revisão de ensaios clínicos, publicada na revista Nutrients, concluiu que:

É improvável que a suplementação com o DHA seja uma "bala mágica" que criará gênios. Porém, por conta da capacidade humana limitada de sintetizar o DHA e do seu papel crítico na função cerebral, parece prudente que indivíduos saudáveis incluam o DHA em suas dietas para um desempenho cognitivo ótimo ao longo de todos os estágios da vida (...).  

Várias organizações internacionais recomendam o consumo de 500 mg ou mais de EPA+DHA por dia ou 2 refeições com peixe ou mais por semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário